GOIÂNIA 20/11/2017

RSS

Fumar é comer iguarias com os pulmões

Fonte: A A A

Fumo

 

Dependência psicológica

 

Já dizia Mário Quintana: “Fumar é uma forma disfarçada de suspirar”.

Para entender o que o saudoso Mário quis nos dizer nesta frase, é preciso entender o que é o suspiro. De acordo com a língua portuguesa: Refere-se à inalação profunda que continua imediatamente por uma expiração e, por vezes acompanhada com um gemido, motivado por incômodo físico, psíquico, alívio ou satisfação etc.

 A fumaça do cigarro traz visibilidade para o ar, dando a ele cor e cheiro, tornando consciente o ato de respirar, talvez possamos dizer que tornando consciente o ato de dizer para si mesmo ESTOU VIVO, algumas pessoas até dizem “Se fumo, estou vivendo, tem gente que não fuma e está morrendo, eu fumo sim”.

Mas o cigarro também é morte, a cada vez que se fuma se arranca um pouco da vida que nos resta como se quiséssemos controlar o nosso tempo de vida de uma forma prazerosa, “afirmando” para si mesmo que ES dono do seu tempo e do seu corpo.

Mas talvez não seja de todo uma ilusão, afinal, somos livres até para nos matar, e a verdade é, que cada um se mata a sua maneira. Paradoxal não? O cigarro é vida e morte ao mesmo tempo!

Já se percebeu fumando? Na maioria das vezes de forma pausada e prolongada, a cada trago um gozo, ali o suspiro se torna um objeto de prazer, não uma função fisiológica, fumar é comer iguarias com os pulmões.
O ato de fumar envolve várias associações de comportamentos ligados aos hábitos individuais ou sociais, ou mesmo a rituais que, pouco a pouco, vão se transformando em reflexos dependentes.

O cigarro é usado pelos tabagistas como uma maneira de “manter o controle” sobre suas emoções, em geral quando estão tensos ou ansiosos, fumar os acalma.

Com o tempo, o tabagista amplia o uso do cigarro para tentar “manter o controle” do estado emocional, sem perceber que aquilo que era usado apenas por emoção torna-se essencial para seu estado emocional, fazendo o uso do mesmo em qualquer situação, zangado ou estressado, tornando-se a forma comum de enfrentar as situações que envolvem emoções, não lembrando mais como reduzir o estresse sem fumar.
Além de funcionar como um apoio ou como forma de facilitar o contato com os sentimentos de frustração, solidão, as pressões internas e externas, sendo utilizado também como recompensa.

Estas particularidades têm a ver como o indivíduo se organiza internamente, para lidar com a realidade

Aquilo que era apenas um hábito corriqueiro passa a ser uma dependência física e psicológica, que o coloca como refém de uma substancia diária, mas você já analisou por que fuma?

 

N.P.D

Núcleo de Psicologia da Policia Civil
 

 

Para saber mais acesse> http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo

 

Fonte: A A A
Publicado por:


Compartilhe

1 Comentário

  1. Lucas disse:

    Muito legal essa analogia!

    O cigarro é uma das piores lesões que uma pessoa pode comentar contra si mesma, e não só de uma visão física, mas também psicologica. Hoje é cada vez mais difícil encontrar ajuda real contra esse mal, mas alguns materiais (como esse) ajudam bastante! Um bom conteúdo sobre a dependência psicologica de um tabagista é esse aqui da Apoio: https://apoioclinicacuritiba.com.br/tratamento-para-parar-de-fumar-curitiba/

    Me ajudou bastante a ter clareza sobre o assunto.
    Viva a saúda física e mental!
    Diga não ao cigarro!

    Responder

Deixe seu comentário